Contos Eróticos

Menáge de Aniversário

Escrito por LoveCenter
Compartilhar

Olá meus queridos, hoje vou lhes contar uma coisa que aconteceu recentemente, mais precisamente no dia 19/11, conhecido também como dia do meu aniversário.

Acordei maravilhosamente com um delicioso oral do meu marido, foi muito bom acordar sentindo a língua dele invadindo minha buceta. Quando ele começou estava seca afinal não estava tendo nenhum sonho erótico nem nada, mas à medida que fui ficando consciente do que estava rolando minha buceta começou a ficar ensopada e em menos de 1 minuto eu estava escorrendo melzinho da buceta.

Junio faz o melhor oral que já experimentei na vida, e esse dia não era diferente, ele sabia conduzir meu grelinho pela lingual enquanto dava leves chupadas nos lábios de minha buceta, eu estava completamente nua (só durmo assim) me contorcendo de tesão na cama enquanto meu macho em sugava, tirava todo néctar da minha buceta e me fazia suspirar de tesão. Cada estocada da língua dele dentro da minha xana me fazia arrepiar.

Junio continuou me chupando e eu apenas curtia gemendo e me contorcendo de desejo. Ele colocou os braços por de baixo de mim e me levantou um pouco da cama levando-me mais perto ainda de sua boca. Sua língua trabalhava dentro de mim e eu sentia meu corpo todo formigar, ele continuava freneticamente me devorando e eu não queria que aquela sensação deliciosa parasse nunca. Segundos depois senti a língua descer mais e encostar no meu cu, Junio agora chupava meu cuzinho e eu não me contia, gemia alto como uma cadelinha no cio.

Junio me virou de bruços e logo em seguida me puxou para perto dele, deixando meu rabinho mega empinadinho para ele. Me deu um tapa bem dado na bunda e caiu de boca, chupava meu cuzinho com muita vontade enquanto me masturbava com a mão. Eu já estava ficando doida de tesão e ele só aumentava o ritmo, meu cuzinho piscava de desejo a cada linguada que tomava, eu agora me agarrava nos lençóis da cama e tentava conter meus gemidos, mas era mais forte do que eu. Meus gritos de desejo ecoavam pelo apartamento todo quando meu corpo se entregou numa gozada maravilhosa, minha buceta esguichou meu gozo para todo lado, eu gritei como se minha vida estivesse sendo tirada do meu corpo e colocada de volta em segundos, meu corpo todo arrepiou e eu sentia minha buceta queimar de desejo, a sensação deliciosa foi passando e meu corpo perdendo força e então cai mole de bruços na cama.

– Bom dia meu amor, feliz aniversário. – Disse Junio deitando-se ao meu lado. Me beijou e senti o cheirinho da minha buceta e cuzinho na barba dele que jazia toda melada com meu gozo.

Como ainda estava sem forças até para responder apenas sorri, mas ele que muito me conhece entendeu que aquele sorriso queria dizer um “eu te amo”.

Meu marido se levantou. Voltou minutos depois com uma bandeja de café da manhã para mim. Agora com um pouco mais de firmeza nas pernas me virei e comecei a comer.

– Obrigado amor – disse sorrindo.

– Por nada meu bem, coma depressa para a gente poder sair.

– Sair?

– Sim preparei um monte de coisa para gente fazer, sua roupa está na poltrona, te espero lá embaixo. – Junio saiu do quarto e olhei para a poltrona. Lá havia um Vestido branco, me levantei para poder ver de perto. Era lindo o vestido, branco levinho curto, mas comportado, desses tipos para se sair de dia num passeio no parque. Havia também uma calcinha fio dental bem pequena branquinha quase transparente, bem delicada, mas sexy.

Voltei para a cama terminei o café da manhã e corri para o banho. Sai do banho passei creme no corpo, me perfumei coloquei o vestido e a calcinha nova, arrumei o cabelo, fiz a maquiagem e finalmente desci.

Junio me esperava na sala e também estava arrumado, barba bem aparada, cabelo bem cortado, uma camiseta azul lisa, e uma bermuda jeans básica, e como sempre muito cheiroso, sua barba agora não mais cheirava a buceta e sim um cheiro suave e doce.

– Está linda – Ele disse.

– Você também – Respondi – aonde vamos?

– Você vai ver.

Saímos, de carro e ele seguiu para um parque famoso daqui de Belo Horizonte, chegamos lá comemos conversamos, namoramos, enfim fizemos um passeio mega romântico, mas nada além disso. Eu particularmente adoro programas assim então fiquei mega feliz com tudo que estava rolando.

Quando foi dando umas 17 horas voltamos para casa, achei que o dia iria terminar alí mas ele me preparara mais uma surpresa. Entrei no apartamento subi para o quarto para trocar de roupa, tirei o vestido ficando apenas de calcinha e deitei na cama para descansar um pouco as pernas da caminhada que fiz no parque. Cerca de uns 10 minutos depois o interfone toca e Junio atende, escuto ele dizer ao porteiro que pode deixar seja lá quem for entrar, fico rezando pra não ser ninguém que eu precise receber pois não queria ter que me vestir por causa de visita, e além disso estava à espera do meu marido pra me comer gostoso.

Escuto meu marido abrir a porta e uma voz de homem conversar com ele. Tento reconhecer quem é pela voz, mas não consigo. No minuto seguinte Junio me chama para descer até a sala. Já faço uma cara de insatisfação ao perceber que teria de me vestir, pego o vestido branco e coloco novamente já que é a única roupa próxima no momento. Um detalhe importante é que não curto muito usar sutiã, então saio muito sem ele, isso faz com que muitas pessoas homens e mulheres reparem muito nos meus seios, mas não ligo pois gosto da minha liberdade. Com este vestido não foi diferente, usei-o sem o sutiã o que fazia meus seios ficarem bastante evidentes principalmente quando me movia e eles balançavam dentro do vestido. Me olhei no espelho para ver se estava apresentável e desci.

Ao chegar lá vi um rapaz bem bonito que não conhecia, pensei que poderia ser alguém com que meu marido estava fazendo negócios então me comportei de forma formal. O rapaz se apresentou com nome de Fábio, devia ter cerca de 20 anos e não parava de olhar meus seios por debaixo do vestido. Fábio parecia um modelo desses que desfilam de cueca. Tinha um olho azul piscina, cabelo castanho claro muito bem cortado e arrumado, rosto lisinho sem uma marca ou pelo corpo bem malhado que até parecia ter sido esculpido a mão, uma bundinha que daria inveja em muita garota, e um cheiro tão gostoso que dava vontade de ficar abraçada com ele só para sentir mais de perto.

Quando ele começou a falar, reparei que tinha um sotaque diferente e então percebi que era estrangeiro, o que me fez pensar que realmente poderia ser alguém com quem meu marido fazia negócios. Conversando com ele descobri que era holandês, mas que já tinha vindo ao Brasil muitas vezes tratar de negócios, que trabalhava com compra e venda de café o que não tem nada a ver com o que meu marido faz, então comecei a estranhar o fato do Junio estar com ele ali em casa, sem contar que ele nunca havia trago ninguém do trabalho em casa, e muito menos levava visita sem avisar.

Conversamos por cerca de 1 hora, bebemos vinho e servi alguns petiscos prontos, afinal cozinhar não é meu forte. Todas aquelas duvidas me deixavam cada vez mais ansiosa, e o fato do Fábio ficar me devorando no olhar bem na frente do meu marido me excitava ao mesmo tempo que me deixava nervosa. Tudo que eu queria e que ele fosse embora logo para poder fode com meu marido. Porém, em um determinado momento meu marido me pergunta:

– O que achou do Fabio amor?

– Como assim? – “que pergunta maluca foi essa?” Pensei comigo, “em que sentido ele quis dizer?”

– O que achou dele?

– Interessante. – Respondi meio sem saber o que dizer.

– E você, o que achou dela?

– Melhor do que eu imaginava – Fabio respondeu.

Arregalei os olhos quando percebi o que estava rolando. Há alguns meses atrás tomei coragem e falei com meu marido da fantasia de transar a 3, eu, ele e mais outro cara. Já havíamos feito troca de casais, já havia feito eu, ele e outra garota várias vezes, e apesar de já ter ficado com dois homens ao mesmo tempo antes de conhecer meu marido (como já relatei em um conto), eu queria fazer isso com ele participando. Queria sentir como era ter ele que é o meu melhor parceiro até então mais outro cara junto. Na hora que disse, percebi que ele não gostou muito da ideia, disse que não conseguiria me dividir com outro cara pois sentiria ciúmes, tentei entender o lado dele mas não consegui conter minha cara de frustração pois era uma coisa que queria muito, porém ao que tudo parecia ele havia pensado na proposta e ia me dar isso de presente de aniversário.

– Espera aí um minuto. – disse ansiosa – é isso que estou pensando?

– Sim. – Junio respondeu.

– Você é um garoto de programa? – Perguntei a Fabio.

– Não.

– Ele é uma pessoa que conheci na internet – Junio começou explicando – depois que você me falou que queria isso, pensei muito no assunto, você nunca me negou nada na cama e sempre me satisfez muito. Seria injusto te negar isso, por isso resolvi te dar esse presente. Porém pra ficar mais fácil pra mim aceitar, eu mesmo escolhi a pessoa, uma pessoa que não conhecemos e estabeleci algumas regras.

– Quais regras? – Perguntei ansiosa.

– Bom a primeira era que teria de ser um desconhecido distante e que não poderia ter contato com nenhum de nós depois de hoje. Encontrei o Fábio num site de troca de casais, conversei com ele e outras pessoas por alguns meses sobre o assunto e achei adequado a escolha dele. A segunda regra seria que ele estaria sempre de camisinha por motivos óbvios. A terceira regra é que ele não te beijaria em nenhum momento. E a quarta e última regra é que seu cuzinho é só meu. Ele já está de acordo, se não nem estaria aqui, e você?

– Estou de pleno acordo – Respondi.

Eu já havia feito ménage antes, mas dessa vez estava mega ansiosa, mais do que da minha primeira vez. Achei que ele jamais toparia, mas ali estávamos nós.

Subimos para o quarto num silencio tenso. Entrei e me deitei na cama, Fabio tomou a frente e sentou ao meu lado na cama, Junio ficou escorado na porta de braços cruzados olhando. Fabio colocou a mão esquerda sob minha barriga e eu arrepiei todinha, subiu a mão suavemente pelo meu corpo até meus seios, quando o tocou gemi baixinho. Eu estava estranhamente nervosa e isso era o que mais me deixava excitada. Nem havíamos começado e minha buceta já tinha ensopado a calcinha, já sentia que vasava mel pelo lençol da cama.

Junio ainda só observava de longe quando Fabio beijou meu pescoço. Suspirei e me arrepiei mais, ele continuava suas caricias suaves pelo meu seio direito com sua mão esquerda, já com a mão direita, afastava meu cabelo para beijar melhor meu pescoço. Fabio passava a língua de leve no lóbulo de minha orelha e eu segurei forte no lençol. Fechei os olhos e curti o momento.

Fabio desceu a alça esquerda do meu vestido devagar e fui sentindo ele descer até deixar meu seio esquerdo a mostra, a mão do holandês aninhou meu seio e foi massageando de leve meu mamilo com o dedão. Os beijos desceram para o meu ombro direito e com a boca ele abaixou a alça restante do vestido. Agora eu jazia com ambos os seios para fora, abri o olho para ver onde Junio estava e ele continuava nos observando.

Senti a boca quente e molhada de Fabio no meu seio, ele sugava devagar um dos seios enquanto massageava o outro. Começou devagar, mas logo foi ficando mais intenso, em pouco tempo Fabio mamava como um bebe faminto, e eu com toda a situação estava subindo pela parede de tanto tesão.

O holandês colocou-se por cima do meu corpo e com muita vontade mamou ne mim, parecia que o mundo ia acabar no minuto seguinte e ele precisava de chupar para salvar o planeta, ele começou a ficar afobado, mas ainda estava muito gostoso. Junio começou a se aproximar da cama onde eu estava sendo mamada pelo desconhecido amante. Tirou a camiseta e se sentou do meu lado. Fabio foi descendo os beijos e tirando meu vestido a medida que ia me beijando, chegou a té minha barriga e lá ficou mordiscando e lambendo de leve, eu só me arrepiava e gemia. Junio acariciava meus cabelos enquanto eu ganhava beijos pelo corpo. Percebi pelo volume em sua bermuda que ele estava com o pau duro. Levei a mão até o meio das suas pernas e pude confirmar ao sentir aquela pica dura que eu adoro latejando.

Fabio agora beijava minhas coxas e eu já estava só de calcinha. Calcinha esta que estava encharcada com meu néctar. Ele beijava e chupava minhas coxas sempre passando bem perto da minha buceta, me provocando e eu estava adorando aquilo. Agora eu acariciava o pau do meu marido por cima da bermuda enquanto meu amante me enchia de beijos nas coxas.

Junio desceu a mão pela minha barriga até chegar na minha xaninha, então abaixou minha calcinha devagar, quando minha bucetinha melada estava livre, Fabio a beijou. Senti um tesão delicioso na hora, apertei o pau do meu marido e gemi. Fabio começou a enfiar a língua ne mim enquanto terminava de tirar minha calcinha. Sentia ser invadida pela língua dele e me retorcia de tesão na cama. Deitada no colo do meu marido eu gemia a cada linguada na buceta. Junio apenas observava calado, mas eu sentia seu pau latejar cada vez que eu gemia.

Fabio também mandava muito bem no oral e eu estava adorando a situação toda. Junio se levantou e tirou o short, vi o volume por debaixo da cueca e minha boca encheu de agua. Olhei com ele com uma cara de boqueteira pidona e ele já entendeu o que era para fazer. Tirou o cacete para fora e ´pude apreciar aquela rola que e fodia todo dia. Cabeça rosada grande, 20 cm, grosso, veiúdo, e cheio de tesão. A cabeça brilhava de tão melada e minha boca salivava.

Junio chegou a pica perto da minha boca e comecei a chupar. Sugava com vontade que até escorria babinha da minha boca. Enquanto isso Fabio havia arreganhado minha perna me deixando toda aberta numa posição frango assado enquanto chupava meu cu. Mamava cada vez mais meu marido com muita fome de pica. Ele me segurou pelo cabelo e começou a foder minha boquinha, fodia com força e me olhava com uma cara de safado. Desci a mão até minha bucetinha e comecei a me masturbar. Sentia a língua do holandês no meu cuzinho e a rola do meu macho na boca, e o tesão me consumia a cada esfregada que eu mesmo dava no meu grelinho.

Junio tirou o pau da minha boca e começou a bater ele na minha cara, eu estava maluca com aquela surra de pica deliciosa. Fabio voltou para minha buceta e agora sugava meu grelinho, passava a língua ao redor do meu grelinho e eu já estava ficando doida. Voltei a mamar no Junio e segurei a cabeça de Fabio para ele não sair da minha buceta, ia gozar pela segunda vez com oral naquele dia só que dessa vez para um macho diferente e sem perder a rola mais gostosa do mundo, pois ela estava na minha boca.

O tesão foi aumentando e segurei Fabio pelo cabelo bem forte, esfreguei minha buceta freneticamente na cara dele, gemia tanto que não conseguia mais chupar meu macho. Apenas segurei na mão dele com uma das mãos e com a outra segurava a cabeça de Fabio, me esfregando na boca dele até que finalmente gozei.

O lençol estava bem molhado com meu gozo e o cheiro de sexo inundou o quarto. Fabio ficou de joelhos na cama e começou a desabotoar a camisa. Quando a tirou pude ver o peitoral desenhado daquele homem, a barriga parecia que cada gominho foi desenhado a mão. Nunca fui de ligar muito para a aparência, mas Fabio era com certeza o homem mais bonito para quem já tinha dado.

Virei de bruços, atravessada na cama, virada para o meu marido e voltei a mamar nele. Fabio veio por traz, tirou a bermuda, na hora instintivamente olhei para traz para poder ver a pica do meu amante. Era menor que a do meu marido, devia ter uns 17 cm, mas era bem grossa e a cabeça com certeza era maior. Fiquei debruçada na cama, com a bunda bem empinada, só esperando meu holandês começar a foder, enquanto isso mamava mais no meu macho.

Ouvi ele abrir e colocar a camisinha, e no instante seguinte senti ele esfregar aquela cabeçona na portinha da minha buceta. Mamei mais forte ainda no pau do Junio, mas Fabio continuava só na portinha.

Fabio começou a entrar devagar, sentia o pau dele invadido a minha buceta, ela se abria para um pau novo depois de um bom tempo. Senti ele me preencher completamente. Foi então que comecei com uma das minhas melhores habilidades. Comecei a pompoar. Apertava o pau dele dentro de mim, massageava a cabeça do pau dele com contrações vaginais. O Holandês se segurou na minha cintura e gemia alto. Cada apertão que minha buceta dava no pau dele, ele urrava, eu me sentia poderosa controlando o prazer daquele homem, pressionava só a cabeça e soltava, quando sentia ele prestes a gozar, pressionava a base impedindo ele de gozar, fiquei fazendo isso alguns minutos enquanto ainda chupava meu marido.

Meu amante apertava minha bunda tão forte para se controlar que já começava a doer, ele nem havia começado a meter, só com meu pompoarismo ele já estava ficando doido. Por esse motivo alguns minutos depois, ele urrou alto, socou umas 5 vezes com muita força e gozou.

Era tanta porra que quase que a camisinha não segura, Fabio sentou na cama ofegante, não conseguia nem falar. O pau dele antes branquinho agora estava todo vermelho dos apertões, a cabeça estava até roxa.

– Falei que ela dar muito trabalho. – Junio disse.

Sorrimos os três. Junio me deitou de barriga para cima ajeitou o pau na minha buceta e começou a meter ele metia com muita força e vontade, parecia de certa forma castigar por ter “traído” ele. Doía um pouco mas ver ele me fodendo com um pouco de raiva me dava muito tesão, sentia minha buceta dolorida, mas não queria parar, queria ser castigada. Fabio ainda se recuperava do lado e nos observava. Enquanto meu marido me fodia eu olhava a pica do meu amante começar a ficar dura de novo.

– Me dá? – pedi a Fabio, como uma criança pede um doce.

Ele prontamente atendeu ao meu pedido e colocou aquela rola ainda meia bomba na minha boca. Senti o gostinho da porra dele, um doce meio amargo que se misturava com o cheiro familiar de minha buceta. O pau dele crescia cada vez que eu sugava. Junio ao ver aquela cena me fodia com mais raiva, agora doía mais, mas o tesão também era maior. Meu marido aumentava cada vez mais o ritmo, nunca antes havia me fodido com tanta força, eu estava adorando a mistura de tesão com ciúmes e comecei a mamar mais safadamente a pica do Fabio.

Passava a língua no pau do amante enquanto olhava no olho do marido. Depois enfiava ela todinha na boca e ia tirando devagar. Enquanto eu mamava suavemente, Junio me fodia com muita força. Era uma falta de ritmo engraçada, mas prazerosa de mais, estava adorando provocá-lo e receber o castigo de pica.

Junio não resistiu muito mais e gozou dentro de mim, mas não foi uma gozadinha qualquer, ele esporrou vários jatos ne mim, que transbordaram, escorria porra de mim enquanto ele ainda gozava.

Eu estava me sentindo o máximo, havia feito 2 machos gozarem e ainda estava com muito tesão. Poderia foder por horas ainda, a noite estava apenas começando

Foi então que algo muito inesperado aconteceu. Logo depois que Junio gozou ele saiu de dentro de mim e sentou na cama tomando folego, eu fiquei lá arreganhada sentindo a porra sair e dentro de mim e escorrendo e empoçando no meu cuzinho. Foi então que Fabio veio, se ajoelhou na minha frente e caiu de boca na minha buceta toda gozada.

Eu e Junio nós olhamos com uma cara de “que porra ele está fazendo”. Pela cara e espanto do meu marido saquei na hora que ele não sabia nada sobre aquilo. Confeço que achei estranho de início, mas depois me deu tesão. Deixei o Fabio limpar toda minha bucetinha e cuzinho, ele bebeu toda porra que tinha ne mim e depois não satisfeito foi em direção a meu marido.

Junio se afastou, mas segurei ele pelo braço. Olhei para ele e não foi preciso falar nada, ele sabia que eu queria ver aquilo. Ele continuou relutante, mas fui em seu ouvido sussurrando:

– Deixa amor, isso vai me deixar mais excitada, faz isso para sua putinha, quantas meninas já chupei por você, e quantas já me chuparam. Não precisa fazer nada nele, deixa só ele fazer em você.

Ele não disse nada, mas acabou deixando, sentei na cama ao lado dos dois, Fabio chupava o pau do Junio limpando toda porra. Para melhorar as coisas para o meu macho eu resolvi participar, comecei a chupar as bolas enquanto Fabio chupava o pau. Logo depois trocamos e eu fui para o pau. Ficamos alternando até que o pau dele começou a endurecer de novo, cerca de alguns segundos ele estava duro feito pedra novamente.

Lambuzei o pau do meu marido de lubrificante e sentei. Senti ele abrindo meu cuzinho cada centímetro que eu descia, eu tinha que agradecer tudo que ele estava fazendo por mim aquela noite então sentei com tudo, deixei o pau dele entrar todo no meu cuzinho, coisa que não costumo fazer por não dá conta mesmo. Doía pra caramba, mas ele merecia.

Fabio se posicionou na frente e vi que estava prestes a fazer uma coisa nova que nunca havia feito, dupla penetração. Sim meus caros atem algumas semanas nunca tinha feito isso. Meu amante colocou outra camisinha e veio. Quando ele entrou ne mim, me senti toda preenchida. Duas picas dentro de mim.

Fabio começou a socar devagar, eu podia sentir as picas mexendo dentro de mim e isso me deixava doida. Junio encaixou os braços debaixo das minhas pernas e as abriu. Fiquei mega arreganhada, mas assim os dois encaixaram perfeitamente. Fabio começou a socar forte. Cada estocada dele eu sentia meu cu arder para o pau do meu marido. Com o tempo a dor anal foi dando espaço para o prazer, comecei a sentir muito tesão no cuzinho e na buceta.

Os dois machos se esforçavam para meter ne mim e eu estava ali só gemendo feito loca. A essa hora toda maquiagem já estava borrada, estava toda descabelada, mas me sentindo muito realizada. Trocamos de posição, Fabio se deitou, fui por cima com o pau dele na minha buceta e Junio veio atrás no meu cuzinho. Ele começou a socar forte novamente, novamente me castigando, mas dessa vez no cuzinho. Me pegou pelo cabelo e puxou, socava com tudo dando tapas fortes na minha bunda. Meu amante socava com tudo na minha buceta também enquanto mamava nos meus seios, os dois estavam fazendo com toda força dando tudo de si para me satisfazer, e eu sentia prazer em cada centímetro o meu corpo.

Junio me batia cada vez mais forte na bunda e eu estava adorando ser arregaçada pelos dois machos, gemia pedindo mais forte. Eu não estava aguentando mais, mas queria provocar, fazer os dois machos se matarem para me dar prazer. Então dizia aos berros:

– Só isso que vocês conseguem? Dois machos vão me deixar não mão? Não vão me foder de verdade? Eu quero ser arregaçada, fode com força caralho.

Cada vez que dizia algo assim eles se esforçavam mais, podia sentir que competiam para ver qual dos dois me dava mais prazer e quem ganhava isso era eu. Abri a bunda com as mãos e só recebi, não precisava fazer esforço algum, mas os dois machos se matavam para socar mais forte. Eu pedia cada vez mais forte, já era humanamente impossível socar mais forte, mas eu pedia, queira ser rasgada ao meio pelas picas de ambos.

Junio me pegou pela cintura e meteu fundo, meu cu ardia, mas o tesão era enorme. Fabio vendo isso e não querendo ficar para traz me pegou pelo pescoço e meteu com mais força na buceta, eu já estava toda dolorida quando senti meu corpo formigar, sentia que ia gozar de uma maneira inédita.

– Gozem comigo – gritei – gozem na sua puta vai.

– é isso que você quer vadia? – perguntou Junio – então toma. – Socou mais forte

Fabio sógritou e senti a camisinha esquentar, o puto estava enchendo outra camisinha, então não resisti e comecei a gozar também, no meio disso tudo senti meu cu encher de porra. Estávamos os 3 gozando juntos e eu sendo inundada.

– Não paraaaaaaaaaaaaaaaaa mete maaaaaaaaaaaaaaais. – Gritava enquanto gozava. E os dois machos obedeciam socavam mais e mais. Gozei mais uma segunda vez logo em seguida, já sentia meu corpo implorar para parar, perdendo toda força. Mas eles não paravam e foi então que gozei pela terceira vez e apaguei.

Acordei uns 10 minutos depois. Ainda sentia meu cu e buceta arderem. Me mexi e percebi que tinha muita porra no meu cuzinho. Senti então uma língua me lamber limpando todo leitinho de mim.

Junio sentou na minha frente e perguntou:

– Satisfeita?

Apenas sorri pois não conseguia falar. Fabio ainda limpava meu cuzinho com a língua e eu sócurtia. Estava toda dolorida, mas realizada.

Quando ele terminou sentou do outro lado da cama, e pude ver meus dois machos nus. Se tivesse força ia dar mais ainda. Mas não conseguiria nada mais naquele dia. Fabio então se vestiu e disse que tinha que ir. Se despediu de mim com um beijo no rosto e saiu pela porta. Junio o acompanhou e eu fiquei ali deitada lembrando de tudo, comecei a rir sozinha de felicidade.

 

  • climaxcontoseroticos
Compartilhar

Sobre o autor

LoveCenter

Loja de acessórios adultos, 22 anos de mercado. Visite nossa webstore (www.lovecenter.com.br) ou uma de nossas unidades -
LOJA 1 Av. Presidente Tancredo Neves, 900 Ipiranga - São Paulo - SP CEP: 04287-010 Fone: (11) 2063-9299
LOJA 2 Av. dos Bandeirantes, 4969 Vila Olimpia - São Paulo - SP CEP: 04071-0111 Fone: (11) 2619-0807

Comente

Receba as Novidades

Compre pelo Celular